sexta-feira, 5 de junho de 2009

Nightmare - Parte I


Sinceramente hoje acho que não estou muito bem ………

Ultimamente tudo me acontece, não sei porque cargas de água ou que mal terei eu feito para ter que estar a passar por isto.

Adoro o meu trabalho e sempre me considerei afortunada por trabalhar no que gosto, porque infelizmente muito boa gente não gosta e levantasse diariamente da cama para ter que enfrentar 8h00 de trabalho numa coisa que desejava ver a km de distância. Eu não … ir trabalhar para mim sempre foi um prazer um gosto e acho que 23 anos na mesma casa espelham bem esse sentido……… mas, há sempre um mas em tudo.

Em Janeiro de 2002 perdi o meu mentor, a pessoa que mais admirava, quer pelo seu brilhantismo profissional quer pelas suas qualidades como ser humano. Fui o seu braço direito (as vezes penso que mesmo o esquerdo e pernas) assessorei-o em tudo e ele ensinou-me todos os truques para ser uma boa comercial, marketing, relações públicas e tudo mais que se possa imaginar, infelizmente uma doença fatal, ELA (Esclerose Lateral Amiotrófica) levou-o em pouco mais de um ano. Nesse último ano dei tudo o que se podia dar, fui secretária, amiga, confidente, motorista, enfermeira …… tudo. Fazia tudo de novo e muito mais se com isso o pudesse trazer de volta, infelizmente não posso. A vida seguiu o seu curso e eu que sempre pensei que se um dia alguma fatalidade acontecesse não iria ficar por cá muito tempo continuei. Continuei porque a pessoa que o substituiu era em tudo parecido com o anterior e (também) sempre trabalhei com ele e continuei com a mesma lealdade e empenho. As coisas aos poucos foram entrando nos eixos e eu habituei-me a trabalhar com uma outra pessoa. Até ai tudo bem, mas como um azar nunca vem só em Julho de 2008 perdi também essa outra pessoa, (Cancro do Pulmão) que aprendi a admirar e respeitar tanto como o primeiro. Foi um choque, perdi duas das pessoas que mais admirava e respeitava. Ai sim entrei em pânico, porque para qualquer lado que olhasse não via ninguém com as qualidades que pudesse ocupar tão alto cargo (sim porque apesar de não mencionar onde) a empresa que trabalho tem altos contactos e é tida em grande consideração no sector onde pertence.

Mas tudo continuou ….. o lugar foi ocupado e aos poucos aprendi a trabalhar com o novo Presidente. Completamente diferente dos anteriores, mas como eu acho que na vida todos temos o direito de provar que somos capazes, esperei e continuei com a mesma dedicação e respeito, até porque além da pessoa, quem eu estava a respeitar acima de tudo era a casa onde trabalhava á tantos e tantos anos. mas esperei mal, digo hoje, e não é por achar que ele é má pessoa ou não sabe gerir os destinos da empresa, nada disso ….. nada disso está em causa, mas somente a forma como gere, com arrogância e prepotência achando que nunca está errado e que tem sempre razão.

Ao longo destes últimos 23 anos, habituei-me a confiar e assinar de cruz qualquer pagamento que me era feito, era tão crédula que nunca mas nunca conferi um recibo sequer ….. e lá está de novo o mas, tudo tem uma primeira vez na vida.

Como eu de contabilidade nada percebo, por norma era a pessoa encarregue da contabilidade que me fazia o favor de preencher a declaração electrónica e enviar, mas o ambiente de trabalho que nuca foi famoso, nestes últimos tempos anda irrespirável, eu achei por bem não pedir mais favores e valer-me de uma outra pessoa para o fazer.

Assim fiz! Mas qual não foi o meu espanto quando ela me disse que não me tratava disso porque estava tudo mal! Tudo mal como pergunto eu? Mal porque é impossível que com o teu vencimento só tenho X de descontos de irs, mal porque o valor da SS está incorrecto …. E por ai adiante. Bem eu comecei a suar e só a ideia de que o bicho papão das finanças pudesse bater á minha porta deixou-me com o estômago embrulhado.

Como além da burrada de não conferir nada, ainda tinha a agravante de não guardar recibos de vencimento, toca de pedir 2ªs, vias. Foi o descalabro, desconfianças atrás de desconfianças porque estava a pedir uma coisa que era minha por direito. Quando disse á pessoa que havia algumas dúvidas e lhe pedi que se encontrasse com a minha amiga, não houve grande abertura mas lá apareceu. Começou a reunião na sua forma monocórdica (sim, porque aquela criatura não emite um som nem mais alto nem mais baixo) com um SONORO “ESTOU AQUI A FAZER-TE UM FAVOR”. Bem passei-me e a vontade de lhe enfiar a mão na cara foi mais que muita! Felizmente controlei-me, mas todas as dúvidas ficaram isso mesmo, dúvidas porque sua Excelência não respondeu e não esclareceu nada. limitava-se a dizer: não tenho aqui o sistema a todas as perguntas que lhe eram colocadas e saiu como entrou "MONOCORDICAMENTE". Bem nada mais me restava senão levar ao conhecimento do Patrão o que se estava a passar, pensava eu!!! Mesmo podendo eu estar a ser lesada ao longo dos anos, da entidade patronal eu NADA queria nem quero, queria somente que se corrigissem os erros se colocasse tudo direitinho de forma a nem eles nem eu serem incomodados pelo fisco.

O que a seguir se passou é dantesco e digno de um filme de terror do STEPHEN KING.

Não é que o meu Patrão ainda me acusa a mim de estar a causar problemas? Não é que ele me diz repetidamente que não há irregularidades, quando elas estão tão claras que até um cego as via? Não é que ele diz que a pessoa que (a meu ver é a responsável pelos erros e irregularidades) trata do assunto internamente lhe deu explicações e que para ele era mais do que suficiente. Não vejo como, se ele próprio me admitiu que não percebe nada de contabilidade, como pode afirmar com tanta convicção que está tudo correcto? se 2 técnicos de contabilidade com escritórios de renome na praça, afirmam peremptória que existem. Não é que ele veladamente me ameaçou? Bem eu senti-me uma coisa ….. Senti-me humilhada, rebaixada para não falar de que toda a revolta que senti pela dedicação e amor que coloquei ao longo de tantos anos de trabalho e que foi posta em causa. Toda a ausência que dei os meus filhos por a mãe não estar presente quando mais precisaram, por chegar a casa ás quinhentas consecutivamente, por todos fins de semana longe da família, pelas horas e horas de trabalho, e muito mais, tudo isso me fez sentir que estava a viver um pesadelo, um filme de terror e que a qualquer momento iria acordar.

Infelizmente, hoje ao acordar vi que não …… Que era realidade e que tenho pela frente uma grande batalha para não dizer uma guerra. A ver vamos o que me espera …………………

4 comentários:

Anne disse...

depois de tantos anos ainda te preocupas com o que vai acontecer a essas pessoas... tens mm coração mole... ja te disse mais k uma vez, a quem tu devias lealdade já não está entre nós infelizmente e ficar num sitio onde não dão valor à pessoa que mais fez pela casa... e faz... nao te preocupes as coisas resolvem-se. mas eu já os tinha lixado há muito........ força mami...

Poetic GIRL - BELA disse...

Força. vai para a frente luta pelos teus direitos... não podemos cruzar os braços... sei que é fácil falar quem está de fora, mas dou-te toda a força para lutares pelo que é teu de direito... beijokas

Mokas disse...

Mesmo...
ponto um "salvar o teu rabinho" (desculpa é uma expressão que uso quando vejo que há possibilidade de me quererem "encavar". Talvez não seja de bom tom estar a usar assim a expressão no meu primeiro coment.. mas enfim, exprime bem a coisa)

ponto dois, Run! A.S.A.P.!
sendo profissional e competente, deves conseguir sem problemas situações mais agradáveis e compensatórias...

saia justa disse...

Anne, obrigado filhota não esperava outra coisa
Poetic GIRL ... é sempre bom ouvir alguém que nos dá força, obrigado
Mokas .... acho que és cá dos meus. dás logo o nome aos bois. Obrigado mesmo