quarta-feira, 15 de julho de 2009

Solidão



…deixas-te ficar, na sombra do passado, escondido da turbulência do presente, evitando as vagas do futuro. Deixas que o tempo te passe, te ultrapasse, ficas quieto, estático. Com esse tempo que passa, observas as imagens da vida que arrastas atrás de ti, um filme desfocado pela tua própria velocidade, fotogramas de instantes em que o próprio tempo se suspendeu, uma pausa na agitação da corrida. Deixas-te ficar, onde o Sol já iluminou o dia, e a noite é exclusivamente o remanescer do que ficou de mais um dia. Sentas-te, como se conduzisses um carro, com a singular diferença de que não te moves, apenas o que está à tua volta se atarefa em passar. Esta viagem, atrás do tempo, oferece-te a possibilidade de rever os momentos, de perceber os tormentos, de sentir de novo, duma forma inversa o que é ir da dor à alegria, da ausência à presença, do vazio ao cheio. Esperas, nesse regresso à origem, nessa viagem sem movimentos, voltar, ao lugar onde te deixaram, ouvir de novo, e sentir que no seu olhar a esperança de outros tempos, é muito superior á derrota do presente. Voltas, de regresso atrás, ao lugar onde as nossas mãos se separaram pela última vez, para se voltarem a tocar no próximo futuro…
Espero, poder demonstrar-te que não é baixando os braços no presente, que alcançarás no futuro tudo aquilo que já tiveste no passado ..... e no meio de tudo isso, deixas-me a mim nesta solidão que me corroi e destroi inteira

4 comentários:

Poetic GIRL - BELA disse...

Às vezes precisamos enterrar bem fundo o passado que não nos deixa ver o futuro.... mas não é fácil... beijokas

saia justa disse...

Bela: - Eu sei ... mas é nesse passado e por mais obscuro que ele se mostre no momento, que tento agarrar a corda do meu futuro para tecer o meu próprio presente ... e não, não é fácil. Beijokas grandes

Saltos Altos Vermelhos disse...

saia justa: para prosseguires para o futuro, tens de deixar definitivamente o passado! sem isso vai ser difícil continuar!

saia justa disse...

Saltinhos: eu sei disso, e como sei, e não estou agarrada ao passado de forma que não vislumbre o meu futuro, não não é isso. Quero é olhar em frente leve e sem amarras ... bj